Um certo dia, quando meu marido estava tentado me convencer a fazer um curso de ourives e designer de jóias (adoro fazer  bijuterias e ganhei um bom dinheiro com as vendas enquanto cursava a faculdade), argumentei que não iria fazer por não ser boa em desenho, foi então que ele disse o que seria o meu gatilho “mas você nem tentou, pra já dizer tão rápido que não sabe”. Aquilo foi o suficiente para me desafiar e foi assim como comecei a desenhar.

Após a tentativa, tive que concordar com ele, realmente eu não havia tentado o suficiente. Você estava certo, “brigadim” pelo incentivo!

Esta foi a minha primeira tentativa:

Não tenho nenhuma técnica (foi só uma tentativa) e fiz o desenho apenas imaginando a imagem.

Eu o dei à minha mãe, como um momento nostálgico, para relembrar a infância (já dei a ela tanto rabisco e sei que ela os guarda com carinho)… Um dia ainda quero dar a ela algo que valha a pena emoldurar…

Treinei mais um pouco e tentei desenhar minha própria mão, acho que já deu uma melhorada (ou não?!).

Não reparem no estado da folha que usei para desenhar, pois comecei utilizar folhas que tivessem algo no verso (rascunho) porque algumas pessoas começaram a perguntar se eu havia “tirado risco” de alguma imagem. Vê se pode um trem destes?!

Como recebi alguns conselhos, acabei emoldurando este desenho, para ser um lembrete de que eu sou capaz de fazer qualquer coisa. Mas, para tal, é preciso tentar e colocar muito esforço nisso (“brigadão Antônio!”) .

Este desenho eu dei de presente a uma amigona que adora minhas “manualidades” e ela é uma mãezona!

Ainda não tive tempo para fazer o curso de desenho e muito menos o de ourives (ainda acho o danado do curso muito caro!), mas valeu por descobrir uma nova paixão.

O que tenho feito para tentar dar uma melhorada na técnica, melhor dizendo, para começar a ter alguma técnica, é que estou assistindo aos vídeos no Youtube do Philip Hallawell no canal À Mão Livre.

Como ele consegue ser tão bom?!?!

Estou simplesmente adorando!

Ele faz tudo parecer muito fácil, tirando o fato de que, na maior parte do tempo, sinto que tenho a coordenação motora de uma criança de colo (ainda não consigo desenhar segurando o lápis da maneira correta, conforme os exercícios que ele apresenta).

Os vídeos são bem didáticos e estou com vontade de comprar o livro dele que chama “À mão livre – linguagem e as técnicas do desenho” e ainda pretendo fazer um curso presencial, mas só Deus sabe quando…

Não deixe de fazer algo só porque as pessoas julgam que você não é capaz! Força na peruca! E mostre que quem manda em sua vida é você!